Melhores projetos de arquitetura contemporânea de Amsterdão chegam ao C-GUIDE

A melhor arquitetura desenvolvida em Amsterdão, desde 1979 aos dias de hoje, já pode ser visitada em www.c.guide , juntamente com as cidades de Londres, Los Angeles, Barcelona, Paris e Sidney. Apesar das atuais limitações no que a viagens diz respeito, a app foi especialmente desenvolvida para proporcionar uma experiência bastante imersiva, na qual os utilizadores se vão sentir literalmente dentro do projeto arquitetónico. C-guide nasce com a dupla premissa de incentivar a inclusão da arquitetura na sociedade, bem como da sociedade na própria arquitetura.

Depois do lançamento do C-guide no final de 2019, seis cidades já estão disponíveis neste guia global de arquitetura contemporânea que, desenvolvido em Espanha – com a colaboração de entidades, instituições e universidades locais, e totalmente gratuito, em espanhol e inglês – surge com a ambição de fornecer aos cidadãos uma ferramenta poderosa e completa para o conhecimento e reconhecimento da arquitetura contemporânea de excelência, em qualquer parte do mundo.

A incorporação de Amsterdão no guia representa a chegada de mais de 200 projetos, que permitem entender o recente processo de reconversão de espaços industriais como Bornéu (Oeste 8), REM Island (Concreto) ou o Espaço Cultural NDSM Loods (Dynamo architecten).

Os espaços partilhados também marcam forte presença nesta seleção efetuada por um Comité Científico, composto por nomes como Silodam e Wozoco do MVRDV ou empresas como OMA, Renzo Piano, Foster and Partners, Mecanoo, e ateliers locais como Concrete, Space&Matter, Karres en Brands ou NL Architects.

Segundo Carlos Anaya, coordenador de atividades da Fundación Arquitectura Contemporánea, “ C-guide é uma ferramenta de base tecnológica em constante revisão e atualização, com uma componente colaborativa notável, pois o conteúdo é realimentado pela atividade dos próprios usuários, que podem sugerir a incorporação de novos trabalhos, avaliar ou comentar os projetos, ou fornecer informações ou documentação gráfica complementar de interesse para outros usuários. A incorporação de Amsterdão envolveu a incorporação de etiquetas que facilitam a rápida classificação e pesquisa de projetos, como ‘na água’, ‘entre paredes de festas’, ‘XXL’, ‘cooperativas’, ‘para bicicletas’, ou ‘património moderno recuperado’, que não apenas nos permite transmitir uma certa intuição sobre o modo de fazer arquitetura nesta cidade, mas abordam também novos paradigmas que, como sociedade, não podemos evitar”.

Jorge Martín, responsável pelos conteúdos do guia, destaca dos interessantes projetos colaborativos associados aos novos tipos de habitação coletiva em Amsterdão, e reforça: “o processo de reconversão das antigas docas portuárias da cidade continua a apresentar-se como uma fonte inesgotável de referências formais e identitárias para a arquitetura contemporânea em Amsterdão”.

Amsterdão representa mais um passo no desenvolvimento e sucesso dessa ferramenta projetada não apenas para profissionais de arquitetura, mas para aqueles que apreciam e bebem das cidades através de seu eixo arquitetónico e construtivo, cruzando a sua própria opinião com as qualificações e recomendações de um importante grupo de especialistas. Amsterdão receberá inclusivamente um novo Cosentino Center, a inaugurar nos próximos meses. O C-guide continuará a crescer em breve com novos destinos como Dubai, Chicago, Estocolmo e Montreal, com um desejo claro de levar ao conhecimento geral a arquitetura das grandes cidades do mundo”.

Mais informação sobre C-Guide

 

Recursos:

 

 

 

 

 

  • Redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram): @cguidearch

 

 

 

Sobre as obras

Devido à sua natureza essencialmente contemporânea, C-Guide inclui obras construídas a partir de 1979, numa reflexão de 40 anos, que nos dará uma interessante perspetiva sobre a evolução da arquitetura global. Os diferentes projetos são escolhidos por um comité científico, designado pela Contemporary Architecture Foundation, que toma em consideração três segmentos de interesse:

  1. Tensão global-local: projetos com duas direções inversas: que reforçam as especificidades locais de cada cidade e / ou propensas à homogeneização espacial do mundo.

  1. Função simbólica: projetos que geram processos participativos coletivos, espaços que simbolizam o surgimento de identidades geográficas e / ou locais que geram imagens coletivas através do cinema ou dos meios de comunicação.

  1. Espaço público:obras que desempenham um papel urbano e que geram reuniões e trocas e / ou espaços públicos cruciais que fazem as cidades entenderem.

Os edifícios presentes no C-Guide dividem-se em três categorias:

C: Arquitetura muito boa. Projeto que deve ser visitado, se estiver naquela zona;

CC: Excelente arquitetura. Projeto que tem que ser visitado, se estiver naquela cidade;

CCC: Arquitetura Excecional. Projeto a visitar, esteja onde estiver.

 

Todos os projetos são acompanhados por uma galeria de imagens (por vezes podem até incluir planos ou desenhos do processo de design) e uma ficha informativa com uma descrição da obra, autor, ano de construção, localização, classificação (C, CC, CCC ), visitabilidade (visitável, visível da rua, visita combinada ou não visitada) e rótulos (eles ajudam na interpretação e são propostos pelo comité do C-Guide, bem como pelos próprios usuários). A plataforma oferece a possibilidade de fazer uma pesquisa rápida pelo usuário, levando em consideração os mesmos parâmetros incluídos na folha de informações de cada projeto.

 Participação dos utilizadores

 

Partindo de uma abordagem interdisciplinar, C-Guide promove um amplo debate público sobre os espaços com os quais as cidades atuais são construídas. Este debate pode ser feito de duas maneiras complementares, percorrendo o mapa digital localizado no site ou percorrendo a cidade real usando o aplicativo de dispositivo móvel. O utilizador tem a possibilidade de contribuir para o desenvolvimento do guia e a experiência de outros visitantes, desenvolver o seu próprio guia pessoal de acordo com seus interesses, pesquisar por parâmetros, contribuir com reflexões ou dados úteis através da discussão que cada trabalho inclui, atribuir ou criar novos tags para os trabalhos e sugerir novos trabalhos ao comitê científico do guia.

Gabinete de Imprensa da Cosentino em Portugal: joaocbnunes@gmail.com

www.cosentino.com – https://pt.cosentino.com/blog/

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s